Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ

GAROTAS ACOMPANHANTES RJ LOIRAS E RUIVAS 

COMPARTILHE ESSAS GATAS COM OS AMIGOS.

 Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ – Elas estão aqui!

 No HotSexy.club, estão publicados os anúncios das melhores e mais sensuais Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ.
Com início das atividades no ano de 2019, o HotSexy.Club sempre primou pela seriedade na publicação de seus conteúdos,
divulgando ensaios fotográficos e serviços das Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ.

Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ realizam suas mais secretas Fantasias, Desejos e Fetiches!

Permita-se a este momento especial, realize todas as fantasias e fetiches que ainda estão somente no seu pensamento.
As acompanhantes anunciadas no em nosso site estão prontas para realizar estes desejos das mais variadas formas.
Seja o oral sem camisinha, o sexo anal, a garganta profunda, e o que mais sua imaginação e vontade permitirem.
Semanalmente, e algumas vezes até diariamente são publicados novos anúncios, com belas mulheres e Travestis querendo sua companhia.
Primamos pela qualidade e não quantidade, o que torna nosso site mais atrativo, preferido por milhares de usuários quando se trata do assunto Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ.

As Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ são maiores de Idade?

Todas as Garotas de Programa e Travestis no RJ que anunciam em nosso site, são maiores de idade.
Para qualquer divergência em anúncios relacionados a fotos, informações ou outro assunto, dispomos de uma Equipe de Sucesso pronta para averiguar e solucionar quaisquer dúvidas.

Contamos também em nosso portfólio, belos ensaios de Acompanhantes Travestis  em várias localidades no Rio de Janeiro. Que tal?
O site oferece uma navegação muito simples e intuitiva, que com poucos cliques já coloca você dentro da informação que buscava.
Então, tenha uma certeza somente, se está procurando conteúdo de qualidade e com uma navegação fácil, o HotSexy.Club é a sua melhor opção.

Pesquisa simplificada faz a diferença por aqui.

Com um simples clique você já abre nossa barra de busca e consegue localizar as mais lindas Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ.
Seja por nome, categorias ou qualquer outra característica que considere relevante em sua busca.
Projetado no modo responsivo, nosso site permite uma perfeita visualização em qualquer dispositivo, seja seu computador, tablet, celular…

Faça contatos diretos com a acompanhante que quiser, utilizando o melhor mensageiro online, o WhatsApp, disponível na página de cada Acompanhante.
Queremos que você tenha a melhor experiência utilizando nosso catálogo online de Acompanhantes Mulheres e Travestis.

Qualidade do conteúdo publicado no Hot Sexy.

Outrossim, informamos que todos perfis são verificados no que tange a veracidade de fotos, comprovação de idade e informações gerais.
Tudo para que você possa realizar uma busca segura e objetiva por Acompanhantes Loiras e Ruivas no RJ.
Entendemos que sua satisfação é nossa prioridade e ficaremos muito satisfeitos se suas buscas pelas melhores
Acompanhantes e Garotas de Programa de Luxo no Rio de Janeiro estiverem anunciadas em nosso site.
Por fim, esperamos que você realize todos seus desejos e desfrute do que de melhor a vida nos oferece, uma ótima companhia e momentos de prazer.

 

Um pouco de História e Conhecimento

fonte: Wikipédia

Prostituição é a troca consciente de favores sexuais por dinheiro. Uma pessoa que trabalha neste campo é chamado de prostituta ou prostituto e é um tipo de trabalhador sexual. A prostituição é um dos ramos da indústria do sexo. O estatuto legal da prostituição varia de país para país, a ser permitida, mas não regulamentado, a um crime forçado ou não forçado ou a uma profissão regulamentada.

A prostituição é praticada mais comumente por mulheres, mas há um grande número de casos de prostituição masculina em diversos locais ao redor do mundo.

História

Apesar de fortemente disseminada no senso comum, a ideia de que a prostituição seja a profissão mais antiga do mundo não encontra qualquer fundamento histórico ou antropológico, visto que os mais antigos registros de atividades humanas revelam as mais variadas especializações como agricultura e caça, mas raramente revelam indícios de prostituição, que normalmente exige um contexto social posterior.

Posteriormente, ainda na Antiguidade, em muitas civilizações já desenvolvidas, a prostituição era praticada por meninas como uma espécie de ritual de iniciação quando atingiam a puberdade.

No Egito antigo, na região da Mesopotâmia e na Grécia, via-se que a prática tinha uma ritualização. As prostitutas, consideradas grandes sacerdotisas (portanto sagradas), recebiam honras de verdadeiras divindades e presentes em troca de favores sexuais.

Grécia e Roma

Cliente e uma prostituta (o saco de dinheiro está pendurando na parede) 480–470 a.C., depositado em coleção particular em Munique.

Mais adiante, na época em que a Grécia e Roma polarizaram o domínio cultural, as prostitutas eram admiradas, porém tinham que pagar pesados impostos ao Estado para praticarem sua profissão; deveriam também utilizar vestimentas que as identificassem, pois caso contrário eram severamente punidas.

Na Grécia antiga, existia um grupo de cortesãs, chamadas de heteras, que frequentavam as reuniões dos grandes intelectuais da época. Eram muito ricas, belas, cultas e consideradas de extrema refinação; exerciam grande poder político e eram extremamente respeitadas. Na Grécia a prostituição não era considerada uma profissão desonrosa, inclusive as mais notáveis personagens frequentavam as mulheres do mundo. Nota-se até mesmo que Sócrates cortejava muitas destas mulheres. Do seu tempo a mais civilizada e berço das ciências, a história desta nação enumera algumas destas mulheres, como são exemplo Helena pela guerra de Troia; Lais, uma poetiza, musica e filosofa que muito custou a Demostones.

Cristianismo e Idade média

Durante a Idade Média houve a tentativa massiva de eliminar a prostituição, impulsionada em parte pela moral cristã mas também no grande surto de DSTs. Em contrapartida, havia o culto ao casamento cortês, onde a política e a economia sobrepujavam aos sentimentos. Em muitas Cortes, o poder das prostitutas era muito grande: muitas tinham conhecimento de questões do Estado, tanto que a prostituição passou a ser regulamentada.

Quando houve a Reforma religiosa no século XVI, o puritanismo começou a influir de forma significativa na política e nos costumes. Somada a este evento, como já mencionado, aconteceu uma grande epidemia de infeções sexualmente transmissíveis (IST). A Igreja Católica enfrentou frontalmente o problema da prostituição, lançando mão de recursos teológicos (dogmas, tradição e textos Bíblicos). Com a ação da Igreja Católica e das igrejas protestantes que surgiam a prostituição foi relegada a uma posição de clandestinidade, apesar da persistência de algumas cortesãs nas cortes Europeias e de suas colônias.

Revolução Industrial

Interior do Moulin Rouge, pintura de Henri de Toulouse-Lautrec.

Com o advento da Revolução Industrial, houve um crescimento na prostituição. As mulheres de então passaram a somar à força de trabalho, e como as condições eram desumanas, muitas passaram a prostituir-se em troca de favores dos patrões e capatazes, expandindo novamente a prostituição e o tráfico de mulheres. Somente em 1899 aconteceram as primeiras iniciativas para acabar com a escravidão e exploração sexual de mulheres e meninas. Vinte e dois anos mais tarde, a Liga das Nações mobilizou-se para tentar erradicar o tráfico para fins sexuais de mulheres e crianças.

Século XX

Prostituta do século XX.

A ONU, em 1949, denunciou e tentou tomar medidas para o controle da prostituição no mundo. Desde o início do século XX, os países ocidentais tomaram medidas visando a retirar a prostituição da atividade criminosa onde se tinha inserido no século anterior, quando a exploração sexual passou a ser executada por grandes grupos do crime organizado; portanto, havia a necessidade de desvincular prostituição propriamente dita de crime, de forma a minimizar e diminuir o lucro dos criminosos. Dessa forma as prostitutas passaram a ser somente perseguidas pelos órgãos de repressão se incitassem ou fomentassem a atividade publicamente.

Com a disseminação de medidas profiláticas e de higiene e o uso de antibióticos, o controle da propagação de infeções sexualmente transmissíveis e outras enfermidades correlatas à prostituição parecia próximo até meados da década de 1980 no século XX, porém, a AIDS tornou a prostituição uma prática potencialmente fatal para prostitutas e clientes, havendo no início da enfermidade uma verdadeira epidemia

.

Pagamentos e os salários

Salários e pagamentos de prostitutas oscilam de acordo com as condições econômicas de seus respectivos países. Prostitutas que têm clientes estrangeiros, como visitantes a negócios, dependem de boas condições econômicas externas. O pagamento pode variar de acordo com a regulamentação adotada por parte dos detentores de bordéis, cafetinas, e adquirentes, que geralmente levam uma parte da renda de uma prostituta. Os preços também podem depender da demanda; prostitutas populares de alto nível podem ganhar quantias significativas de dinheiro (mais de US$ 5 000 por cliente).Virgens também recebem pagamentos mais elevados com algumas quantias subindo para 780 000 dólares.

Atualidade

 
Prostituta em Tijuana.

Modernamente, com as infeções sexualmente transmissíveis, entre as quais a SIDA (AIDS em inglês e na variante brasileira da língua portuguesa), a prática da prostituição recebeu um golpe. Foi necessária a intervenção estatal para o controle e prevenção das doenças, que atingiram níveis de epidemia no final do século XX, início do século XXI, extinguindo boa parte da população de risco (pois são enfermidades fatais aos clientes e prostitutas).

Apesar das tentativas de órgãos de saúde pública em todo o mundo na prevenção a estas doenças, em regiões mais pobres do planeta, miséria e prostituição são palavras praticamente sinônimas.

Nas regiões mais pobres a miséria, a prostituição, o tráfico de drogas e as DST se entrelaçam. No Brasil a prostituição infantil é comum nas camadas mais pobres dos grandes centros urbanos. Nas capitais do Nordeste em especial, existe o turismo sexual, onde crianças de ambos os sexos são recrutadas para satisfazer os desejos de pedófilos provindos de todas as partes do mundo, em especial dos Estados Unidos e da Europa.

Alguns países já reconhecem legalmente a prostituição como profissão, a exemplo da Alemanha.

No Brasil

No Brasil, numa pesquisa do Ministério da Saúde e da Universidade de Brasília indica que, no segundo semestre de 2005, quase quarenta por cento das prostitutas estavam na profissão há, no máximo, quatro anos, fato que indicaria um alto grau de abandono da profissão. Já o Centro de Educação Sexual, uma ONG que realiza trabalhos com garotas e garotos de programa do Rio de Janeiro e Niterói, diz que a maioria se prostitui para sobreviver e que muitas sonham em encontrar um amor.

A atividade de prostituição no Brasil em si não é considerada ilegal, não incorrendo em penas nem aos clientes, nem às pessoas que se prostituem. Entretanto, o fomento à prostituição e a contratação de mulheres para atuarem como prostitutas é considerado crime, punível com prisão.

Enquanto muitas garotas de programa são exploradas por agenciadores, outras tornam-se independentes, divulgando seu próprio trabalho em classificados de jornais e classificados online, como em alguns sites na internet. Em ambos os casos, a anunciante deve fornecer documento de identidade, para que seja comprovada a maioridade da anunciante e a veracidade das informações contidas no anúncio. O que não ocorre na rua, onde menores de idade podem ser vítimas da indústria do sexo.

Em Portugal

A atividade de prostituição entre adultos em Portugal não é considerada ilegal por si só, não incorrendo em penas nem aos clientes, nem às pessoas que se prostituem. No entanto, o fomento à prostituição ou a recolha de lucros pela atividade de prostituição de terceiros é considerado crime de lenocínio, punível com prisão.

Embora estas leis tenham sido pensadas inicialmente para protegerem mulheres da exploração sexual por parte de terceiros, na prática invalidam também que as pessoas que se dedicam à prostituição se possam organizar entre si, quer em grupos de apoio (exceto em situações específicas em que seja claro que não há nenhuma promoção da prostituição), quer para coordenação comercial.

Prostituição na Internet

Hoje, são cada vez mais comuns os sites que divulgam o trabalho de garotas de programa e garotos de programa. Muitos optam por construir blogs próprios a fim de evitarem os pagamentos mensais, quinzenais ou até semanais para a divulgação de suas fotos em site especializados. Hoje é comum o uso de fóruns de prostituição, no qual dezenas de milhares de pessoas pesquisam e comparam preços e serviços de prostitutas, a prática faz com que o cliente tenha o serviço em casa, motéis ou flats do próprio contratado[a] sem se expor à casas de striptease.

Prostituição corporativa

A prostituição corporativa é uma troca de favores sexuais por um melhor nível social hierárquico ou na concretização de negócios. A prática da chamada “prostituição corporativa” tem sido cada vez mais condenada pelas empresas de primeira linha dentro do âmbito da Governança Corporativa.

fonte: Wikipédia